Melhor Software Análise Gráfica Grátis para Forex e CFD (2019)

Melhor software/site para ver gráficos de ações?

Galera, qual é o melhor site/programa/app pra ver gráfico de ações? Eu gostaria de uma coisa bem ampla, que permite desenhar no gráfico linhas de resistência, selecionar períodos, ver parâmetros da empresa e etc. Poderiam me ajudar?
submitted by hapynez to investimentos [link] [comments]

CURSO DE TÉCNICO EM INFORMATICA A DISTANCIA EAD

Os Módulos do Curso de Técnico em Informática a Distância EAD

O Curso de Técnico em Informática a Distancia EAD da Arth ThC possui 12 módulos. Cada Módulo equivale a um curso completo sobre o assunto.
Assim, por exemplo, o Módulo 6, chamado Planilhas Eletrônicas, que aborda o Excel, equivale a um Curso completo de Excel para Alunos de TODOS os níveis.
Se você aluno já tem um certo conhecimento de Excel, então, poderá passar rapidamente pelo conteúdo mais básico do curso. Porém, se você é iniciante, terá a sua disposição dentro do seu curso, da sua “sala de aula virtual”, todo material necessário para conhecer e entender os princípios básicos de funcionamento e utilização do Excel. O Curso possui conteúdo disponível para todos níveis de usuários de Excel, do Básico ao Avançado.
O aluno aprenderá o uso do programa Microsoft Excel, criação, gravação e formatação de planilhas. Bem como: fórmulas: Adição, subtração, multiplicação, divisão e exponenciação. Operações com células. Funções: Soma, máximo, mínimo, média, cont.num, somase, se, agora, ano, mês, dia, dia.da.semana, data, hoje, hora, minuto, segundo. Não somente isso, mas também: cont.valores, contar.vazio, cont.se, combin, romano, pi, tabelas Dinâmicas, procH e procV. Gráficos, validação, analise de dados, imagens, recibos e formatação condicional. Conteúdo completo para que criem planilhas no dia a dia ou para utilizar no mercado de trabalho.

Muito mais vantagens do que no curso EAD básico!

A “ferramenta” Excel possui muitas vantagens no seu uso. Mas pelo Excel ser uma ferramenta completa, também possui muitas funções, fórmulas e particularidades que podem assustar em um primeiro momento a quem não conhece o Excel. Quando você passa a conhecer o Excel, do básico ao avançado, percebe que seu uso é bastante intuitivo. Ou seja, não é complicado como parece.
Dentre os principais recursos, as Ferramentas avançadas como Tabelas Dinâmicas e Formatação Condicional, presentes no Material Didático do nosso curso, fazem desse curso, portanto, um dos melhores cursos de Excel.
O Excel já foi uma alternativa entre as várias planilhas existentes no mercado, mas, hoje é líder absoluto. Conhecer o Microsoft Excel é ter mais facilidades na criação de tabelas e gráficos. Mais chances no Mercado de Trabalho.

Depoimentos de Ex-Alunos do Curso EAD de Técnico em Informática

DEPOIMENTOS Marlene da Silva Maximiano de Oliveira
Meu nome é Marlene, tenho 32 anos, sou professora de informática, leciono em uma ETEC (Escola Técnica), leciono disciplinas de lógica, projetos de software e programação, moro em Guarulhos SP, sou formada em Tecnologia em Processamento de Dados e Pós Graduação em Tecnologia da Informação. Por trabalhar em uma escola técnica, mesmo tendo boa formação, me faltava um curso técnico, quando eu podia fazer não tinha como pagar, quando podia pagar não tinha como fazer o curso! rs… Com a oportunidade do curso a distância eu a agarrei com muita vontade e procurei fazer o melhor. Estou muito feliz com a conclusão deste curso e certamente farei outros, a minha área exige a atualização e eu procuro me esforçar para atender esta exigência e me manter no meu trabalho. Deixo aqui a minha satisfação com o curso da Arth Informática, que pra mim foi bem elaborado e distribuído, curti cada módulo, aprendi muito, coisas que eu achava que já dominava, vi que poderia fazer diferente e melhor, e assim aconteceu.
Rodrigo Meu nome é Rodrigo, tenho 36 anos, sou Policial Militar do Estado de Goiás há 15 anos; estou residindo na Cidade de Jussara/GO e sou formado como Técnico em Contabilidade.
Com as mudanças enfrentadas no dia a dia, a Sociedade nos cobrando mais aperfeiçoamentos; encontrei está maravilhosa escola nos sites da internet. No início fiquei meio receoso; pois, não conhecia está escola, mas com o passar do tempo e no decorrer dos módulos, aprendi a respeitar e admirar cada profissional, que se empenham a nos trazer matérias didáticas e nos capacitando a cada etapa rumo ao saber.
Devido a uma oportunidade de trabalho em minha Corporação, decidi fazer o curso; pois só assim conseguiria um lugar melhor em meio a Sociedade e a Empresa que trabalho. Gostei muito da acessibilidade do curso; pois, usava sempre meus horários de folga para conseguir estudar.
Espero com a ajuda de meus colegas de trabalho e auxílio sempre que puder da ARTH Informática me tornar um exemplar profissional. Sei que tenho muito a aprender, mas, continuarei os meus estudos e quem sabe no futuro, faça até uma Faculdade.
Fiquem com Deus e Sucesso a todos!
André Hermenegildo do Nascimento Andre ex-aluno Curso Técnico Informática Online Aluno: André Hermenegildo do Nascimento Cidade: Recife Estado: Pernambuco Profissão: Técnico de Suporte e Manutenção de Micros ( T&A SERVINFO ) Sempre trabalhei com informática, porém não possuía um curso que certificasse meu conhecimento técnico na área. Encontrei na ARTH INFORMÁTICA a oportunidade de finalmente me qualificar para o mercado de trabalho. Como não possuía muito tempo para frequentar uma escola presencial, esta oportunidade “caiu como uma luva”!!! O curso mantém uma estrutura muito boa, apostilas atualizadas com frequência e além de possuir um corpo docente competente e entrosado com os alunos. As dúvidas são rapidamente esclarecidas. Em suma, gostaria de agradecer a toda equipe ARTH INFORMÁTICA e um agradecimento especial a Thiago que acompanhou minha caminhada no curso. Agradeço também a minha Esposa por todo apoio e compreensão durante o curso e por sua presença tão especial em minha vida!!!

Mais Informações do Curso EAD – Totalmente Online

Deseja o Certificado de Técnico em Informática em menos de 6 meses?
Certificação por Competência de Técnico em Informática

Curso de Técnico em Informática EAD INFORMAÇÕES DO CURSO DE TÉCNICO EM INFORMATICA A DISTANCIA EAD – TOTALMENTE ONLINE…

Este Certificado de Técnico em informática garante seu Futuro Profissional. Faça na ARTH INFORMATICA seu Curso. Técnico de Informatica é uma das profissões mais requisitadas do Mercado. Curso de Técnico em Informatica à Distância. Curso Técnico em Informática a distância é na Arth Informática Conheça seu Curso de Técnico em Informática a Distância (online). Certificado válido em todo Brasil enviado pelos Correios. Totalmente a distância Garanta Hoje seu Futuro Profissional. Faça na ARTH INFORMÁTICA este Curso. Técnico em Informática é uma das profissões mais requisitadas do Mercado. Totalmente a Distância.

Mais informações do Curso de Técnico em Informática EAD

submitted by tecnico-informatica- to u/tecnico-informatica- [link] [comments]

Verdades sobre "Console x PC"

Tendo em vista os recentes anúncios dos consoles da próxima geração, nos próximos meses teremos várias piadinhas, memes e discussões sobre o velho conflito entre Consoles e Computadores.
Dessa forma, venho aqui escrever um pequeno texto para trazer informações úteis para quem quer comprar um desses equipamentos, e fica na dúvida entre Consoles e Computadores. Não vou defender só um lado ou só o outro lado, e sim trazer fatos que devem ser levado em consideração para quem vai comprar um PC ou um Console novo.
1) Um PC não é só um equipamento para jogar
O PC te dá mais versatilidade pois ele não é apenas um equipamento de jogar, te permitindo fazer outras atividades como navegar na internet, elaborar uma planilha de Excel, estudar, editar fotos e vídeos, etc
Vou usar de exemplo essa situação atual da pandemia. Quem só tem um computador está usando o equipamento para muitas coisas: trabalhar home-office, assistir uma vídeo-aula da faculdade que agora está EAD, fazer anotações da aula EAD que está assistindo, etc. Quem só tem um console está assistindo aula na telinha do celular e fazendo as anotações à lápis num caderninho.
2) Consoles e PCs possuem estruturas de custo diferentes
Consoles são subsidiados pelas empresas (Microsoft, Sony) e, inclusive, são vendidos com prejuízo como forma de expandir o mercado. PCs são vendidos pelo preço real. Dessa forma, pelo mesmo "poder" gráfico, um Console é mais barato que um PC.
Porém, esse custo subsidiado dos consoles é compensado durante a vida útil do aparelho, através de jogos mais caros e outros serviços adicionais, como a mensalidade do XBOX Gold que você precisa pagar se quiser jogar online. Enquanto nos computadores o custo dos jogos (em especial os jogos mais antigos) são bem menores, e não há nenhum custo adicional para jogar pela internet ou coisa do tipo.
A depender do tipo de jogo que você gosta, o computador também possui outras vantagens com relação ao custo durante a vida útil. Os mods, que existem basicamente em jogos de computador, fornecem gratuitamente sobrevida à alguns jogos que você comprou, reduzindo seu gasto total. Além disso, o número de jogos gratuitos em computador é muito maior que nos consoles, caso você goste de jogos Free2Play (jogos de tiros, MMOs, MOBAs) ou jogos antigos (abandonware).
3) Consoles são jogados sentados no sofá sala; Computadores são jogados numa cadeira
Isso é um fator extremamente pessoal. Onde você prefere jogar? Prefere jogar na sala, ou sentado numa mesa em seu quarto?
4) Mouse e Teclado ou Joysticks?
Outro fator extremamente pessoal. Muitas pessoas preferem usar joysticks, outras morreriam se precisarem parar de usar teclado e mouse.
Por sua vez, computadores permitem a instalação de Joysticks, enquanto consoles não permitem a instalação de mouse/teclado.
5) Tipo de Jogo que você gosta
O tipo de jogo que você gosta influencia muito em qual equipamento é melhor para você.
Se você curte jogos de estratégia (Europa Universalis, Civilization, Stellaris), jogos de management/tycoon (Rollercoaster Tycoon, Prison Architect), MMORPGs (World of Warcraft, Lineage) ou jogos de nicho (Dwarf Fortress), obviamente o computador é melhor.
Por sua vez, para quem curte jogos de esportes (FIFA, NBA, Formula 1, etc), por exemplo, os consoles normalmente fornecem uma experiência bem mais bacana por conta de ser jogado numa TV e num sofá.
6) Simplicidade
Os consoles são, evidentemente, mais simples. Se você não tem conhecimento técnico ou não tem saco para ficar resolvendo probleminha, os consoles são ideais. Você compra eles na loja, e eles funcionam. Simples e eficaz.
Computadores sempre dão problema, e você precisa ou ter o conhecimento técnico para resolver, ou ter saco para ficar 2 horas no Google descobrindo como resolver o problema que aconteceu. Caso você não saiba resolver esses problemas por conta própria, vai acabar ficando na mão no primeiro bug de driver ou de software que acontecer.
submitted by joaohonesto to brasil [link] [comments]

Como preparar suas Baterias AAA de NIHM igual a um campeão?



Essa resposta eu não sabia como dar, pois não sou um campeão de mini-z como o nosso amigo Fábio Donato, conhecido por todos como “Bigode”.

Após a 7ª. Etapa da liga paulista, pude perceber que não basta apenas ter o carro ajustado na mecânica, equilíbrio do chassi, a eletrônica com seus fios em perfeito estado, engrenagens de servos limpas, pneus bem preparados, relação escolhida para que tenha melhor aproveitamento no circuito definido para a etapa. Aí me veio a pergunta, como preparar as baterias para que elas sejam uniforme na maior parte do tempo da corrida a ser disputada (treinos, qualificatórias e finais)?

Me fiz essa pergunta após uma troca de mensagens – perguntas e repostas - com o Thomas Robin, um dos melhores, ou se não, o melhor piloto da escala 1/28 da atualidade. Nesta conversa ele me disse que um carro equilibrado com bateria linear durante os 8 minutos fazem um campeão.

Bem, após uma breve conversa com muitas perguntas e respostas, seguem as dicas do campeão Bigode aos praticantes de mini-z, independente da sua experiência – iniciando ou já nas competições, creio que irá acrescentar bastante na sua preparação, escolha de carregador, quais baterias ele recomenda e qual equipamento (conjunto) ele usa?

ETAPAS DAS BATERIAS NOVAS
Fazer o break-in
Baterias com 750mah de capacidade, faz o break-in com 800 de carga
Importante: Precisa saber se o seu carregador possui essa função – powered 9000 maha, Skyrc 2.500, 2.600 e MC 3.000, possuem. Existem outros também com a mesma função, contudo, não iremos focar em matérias disponíveis, qual o melhor, somente irei escrever os comentários e conselhos do bigode na íntegra.
VAI PARA PISTA – DESCARGA OBRIGATÓRIA NO CARRINHO
Andar com as baterias na pista até não conseguir mais mover o carro, tem que fazer dessa forma. Para ter certeza, o carro não pode conseguir andar com as baterias.
Esse processo de ir para pista garante uma descarga mais coerente com a situação que elas irão viver na pista, ou seja, aceleramos, freiamos, aceleramos...e por aí vai.
DESCARGA – 1ª vez após o Break-in
Pegar essas baterias com pouca carga, coloca no carregador e fazer a descarga. Esse processo não pode ser feito em descarregadores, Atomic, PN, e de outras marcas que não sejam carregadores com a função descarregar (DISCHARGE).
CARGA – 1ª vez após o Break-in
Após o processo da descarga no carregador concluído, fará o processo de carga na bateria (CHARGE), com o seguinte pensamento:
Ø Carregar com 1.000 Mah – ele tem feito essa etapa na preparação para correr nas pistas do Brasil, com provas de 3minutos e 30 segundos, e , finais de 5 minutos. O carro com a bateria “cheia” de carga consegue ter um punch maravilhoso por aproximadamente 3 minutos, contudo, quando você enche a bateria de carga, ela tem uma queda e o linear da bateria fica baixo.
Ø Carregar com 800 Mah – Ao carregar com menos as baterias descarregarão menos, dessa forma terá pouco punch no início, contudo o linear da bateria por toda corrida será melhor que as carregadas a 1.000mah.
Pensando numa prova em pista grande com finais de 8 minutos, a recomendação seria de dar carga com 800Mah.
Pistas menores ou até maiores, com provas entre 3,5 minutos e 5 minutos, o melhor seria fazer essa etapa com 1.000mah.
Repetir o processo descrito no ITEM (2) – ir para pista usar a bateria ao máximo

DESCARGA – 2ª vez após o Break-in

CARGA – 2ª vez após o Break-in
IMPORTANTE:
Após esse processo, no qual você já definiu se irá fazer o processo de carga a 1.000 mah ou 800 mah, a bateria já vai estar na melhor forma para desempenho nas competições, contudo, ANTES DE IR PARA A PISTA, você DEVE fazer o MATCH DE BATERIAS.
MATCH DE BATERIAS – EQUALIZAÇÃO DOS PACKS PARA CORRIDA
Após o processo do ITEM (7), no qual você já deu a carga, não irá colocar a bateria para correr na pista.
Vamos iniciar um processo de descarga com foco no MATCH destas baterias, para tanto existem equipamentos antigos - TURBO 30, existe novos como o TURBO 35, gerenciador de baterias da TRP, e o MC3000 da SkyRC.

Qual o objetivo deste processo e como fazer a leitura das Informações obtidas?
• POR QUE FAZER? Equilibrar as baterias por resistências interna e voltagem, com isso, você terá uma melhor aproveitamento entre o que o motor oferece e como a corrente navega pelo seu carro – maior potência e menor consumo possível para aquelas condições.
Descarrega com base no que o motor consome, ou seja, quanto maior o pinhão da relação que você corre, mais ele consome baterias.
• COMO FAZER E LER?

Pinhão longo (consumo maior de bateria) – Descarga a 1.000 mah Pinhão médio e curto (consumo menor de bateria) – Descarga 800 Mah

Descarregando em 1.000 mah, a título de exemplo, você olha no celular (carregadores da SKYRC 2.500, 2.600 e 3.000) ou direto no software do computador (MC3000 e gerenciador de baterias da TRP) o gráfico que vem sendo apresentado no processo de descarga, para avaliar as seguintes informações:

a) Qual a voltagem da bateria por período linear - a 1ª ficou em 1.17v por 4 minutos, 2ª ficou em 1.17v por 6 minutos (essa está melhor que a primeira que ficou 4 minutos), e assim, vai avaliando e fazendo o match

b) Quanto tempo ela ficou mais uniforme na voltagem – deve ser anotado, quem tem os que possuem software, tudo já fica anotado pelo LOG da bateria.

c) Quanto descarregou? Anotar

d) Quanto tempo levou a descarga? Anotar

• MATCH COM O MC3000

Usando o MC3000 colocar para descarregar como 1.1 Amp, sendo que deve definir como corte de descarga (cut-off) 0.9V.

Esse 0.9 volts é o maximo que a bateria pode baixar, LIMITE DE DESCARGA. Antes era até 0.5V, as modernas se você fizer isso pode inverter a polaridade, para tanto, os fabricantes pediram para deixar em 0.9Volts.

Esse conjunto de informações serão usados para você escolher as baterias que mais se parecem e ofereceram maior potência linear com menos resistência interna, com carga para alcançar o objetivo necessário.

O Bigode só recomenda, por experiência na prática, que vocês usem o MC3000 somente para descarga e fazer o match com as informações, pois o software ajuda muito no processo. Vale destacar que, para carregar e fazer break-in das baterias, devido às placas de contato de baterias darem problema em curto espaço de tempo, não usem este carregador.

• MATCH EM DESCARGAS FEITAS COM BATERIAS EM SÉRIE

Tendo carregadores modernos, que possam carregar as baterias de NIHM em série, ao invés de ser individual, pode usar esse carregador para fazer o MATCH.
A diferença desse carregador, para o processo ensinado com o MC3000, devese ao fato que no MC3000 deverá definir como cut-off de voltagem 0.9 Volts, já em série, você deverá fazer a soma das 4 baterias ou multiplicar 0.9V por 4, tendo como definição para cut-off (corte) de voltagem 3.6V.

• QUEM NÃO TEM NENHUM DOS CARREGADORES DE DESCARGA DESTE PROCESSO, COMO FAZER ALGO PRÓXIMO?

Sem esses carregadores que fazem a descarga, tem corte de descarga. - voltagem, o que pode ser feito é realizar a descarga da bateria no carregador que você tiver com essa função. Ao término da descarga, utilizar um multímetro para fazer a leitura da amperagem de descarga e a voltagem, para assim, fazer seus packs de competição: os packs melhores guarde para as finais, os médios para as qualificatórias e os piores packs para treino livre e tomada de tempo.

• CARREGADORES RECOMENDADOS

Para carregar as baterias ele recomenda o 2.500 ou o 2.600 da Skyrc.
Outros carregador podem ser usados, tais como: o Liitokala Lii500, Opus, Powerex Maha C9000, entre outros carregadores que seus amigos mais experientes possam atestar a qualidade.

• BATERIAS QUE ELE RECOMENDA

Baterias que o bigode está usando são as R1, PN 750 (ele diz que é padrão R1), a TRP é um pouco mais fraca de descarga. Com relação as 900mah, não recomenda a PN900, prefere a Peak900.
Vale destacar que, havia conversado com outro piloto que é referencia para muitos, Dennis Pickthall, o qual na conversa detalhou processo muito semelhante ao que descrevi acima, ou seja, vale fazer um teste e ver se realmente o que serve para os pilotos de ponta, poderá lhe ajudar a ter um melhor desempenho numa próxima corrida, campeonato, racha com amigos ou diversão sozinho.

Nosso próximo artigo deverá ser sobre a preparação de pneus, destacando:

O processo de truar, colagem de pneus, fitas duplas face, acabamento, alturas, alisar ou deixar rugoso, slick ou radial, entre outras dúvidas e auxílios.

Obrigado ao Bigode por toda ajuda e paciência, e acima de tudo, por nos deixar compartilhar material tão precioso para todos os corredores.

Att,
Almério Barros.(u/Almeriobarros/)


submitted by gcmauricio to MiniZptBR [link] [comments]

Onde posso apresentar queixa contra uma professora que vigiou um exame?

Neste caso, uma pessoa que conheço (vamos chamar-lhe Sofia) foi fazer exame de MACS e levou duas calculadoras. Uma com a qual está mais familiar e outra que é melhor para gráficos. Ambas as calculadoras estão dentro da lista de calculadoras aceites.
Em nenhuma parte do regulamento está estipulado um limite no número de calculadoras que se pode usar no exame.
Acontece que uma professora, encarregue encarregada de verificar se as calculadoras tinham algum software ilegal, disse a esta pessoa que conheço que não podia usar duas calculadoras.
Ora, sem o regulamento presente ou conhecido na íntegra, a Sofia teve de acreditar na palavra da pessoa responsável.
Ou seja antes sequer do exame começar, a Sofia já estava reduzida nos recursos. Recursos esses que, dado o seu método de estudo, eram essenciais para o exame.
Só agora é que ouvi falar disto e como é lógico não estou satisfeito. Acho até que representa uma coisa muito comum com muitas professoras e professores que, mesmo não sabendo, agem como se soubessem.
Portanto duas coisas:
1- há alguma regra obscura que eu desconheça que diga que não se pode usar mais que uma calculadora?
2- regra geral, como posso apresentar queixa desta professora?
.
Ps: Como se isso não fosse suficiente, também lhe negaram uma folha nova. Quanto a esta não sei as regras exatas. Sei que não tinha acabado de preencher a folha que já tinha mas as professoras podem negar dar uma folha nova??
submitted by _MrFlippy_ to portugal [link] [comments]

Veja agora as 10 vantagens de uma gráfica online

Veja agora as 10 vantagens de uma gráfica online
No início dos anos 2000, permitiram obter suas impressões em apenas alguns cliques. Tudo o que você precisa é de um PC para fazer seu pedido pela Internet e receber suas impressões em casa ou no escritório depois de alguns dias, quase por mágica.
Assim, a tecnologia digital revolucionou o mercado de artes gráficas, reduzindo custos e reduzindo significativamente o tempo para pequenas tiragens.
Esses fatores decretaram o sucesso das gráficas online, que renovaram suas máquinas inserindo as primeiras impressoras a jato de tinta e toner e se especializaram gradualmente na impressão digital e isso se torna uma das vantagens da gráfica online.

1. Custos baixos

O trabalho de pré-impressão é reduzido ao mínimo, porque, diferentemente da impressão offset, no digital não é necessário preparar chapas litográficas, montá-las e preparar a máquina.
Isso permite que você imprima poucas cópias de um documento sem o “lastro” de custos fixos, que devem ser considerados na impressão offset tradicional.
Muito conveniente para você, porque você pode decidir imprimir algumas dezenas ou centenas de cópias do que precisa, apenas quando necessário, e não precisa mais armazenar pilhas de caixas dobráveis ​​ou catálogos com anos de idade debaixo da mesa (sentindo-se culpado por jogá-los fora).

2. Sustentabilidade ambiental

Obviamente, as tintas também são usadas na impressão digital, como de fato em qualquer tecnologia de impressão.
Mas vale dizer que mais uma das vantagens de uma gráfica online é uma economia de tintas, logo uma sustentabilidade ambiental.
Gráfica Online

3. Velocidade de produção

Como não há necessidade de preparar as chapas, calibrar as máquinas, prepará-las, assim, o processo de impressão digital é muito rápido.
Quando a impressora é lançada, a máquina começa imediatamente com a produção e seus cartões de visita ou folhetos dobráveis ​​saem da máquina rapidamente (sim, quase, porque antes que eles possam ser enviados, eles devem ser cortados e dobrados).

4. Impressão sob demanda

Você só imprime quando precisa e apenas o que realmente precisa. Não há mais a necessidade de “depósito”: apenas armários cheios de folhetos antigos e cartões de visita de pessoas que estão aposentadas há anos!
Isso também se aplica à tipografia, que não precisa mais armazenar chapas volumosas que podem ser usadas apenas uma vez ou descartá-las.

5. Pequenas tiragens

Ao mesmo tempo, quando a impressão offset era a única alternativa possível, para diminuir os custos, era necessário imprimir grandes quantidades de material de comunicação.
Hoje não é mais assim, e você pode se dar ao luxo de imprimir apenas o que você precisa, exatamente quando é necessário: banners,cadernos, cartões de visitas, folders e outros mais.
Assim, essa é uma das vantagens da gráfica online, que permite que você pode fazer tiragens muito pequenas sem aumentar os custos e os tempos de impressão.

6. Personalização

As modernas tecnologias de impressão, combinadas ao software, permitem um alto grau de personalização do produto.
Você tem total flexibilidade de design, também pode criar layouts completamente diferentes para cada produto: levando esse recurso ao extremo, por exemplo, você também pode optar por criar cartões de visita com todos os gráficos diferentes, mil cartões de visita com o layout um diferente do outro. Uma personalização muito mais simples, mas realmente eficaz, é dada pelo uso de dados variáveis ​​(em inglês Variable Data Printing ou VDP): você pode inserir números de série, nomes, imagens personalizadas para cada cliente ou se decidir imprimir um catálogo numerado.

7. Precisão de impressão

Até agora, a tecnologia de impressão digital de uma gráfica online tem uma ótima qualidade em termos de precisão de impressão.
Esses resultados são alcançados graças a sofisticados instrumentos eletrônicos (como o espectrofotômetro em linha) que medem a consistência das cores, a definição da impressão e mantêm um alinhamento perfeito entre a frente e as costas.

8. Do seu PC à impressora, tudo isso online

Deseja falar sobre a conveniência de uma gráfica online?
Os tempos são reduzidos ao mínimo e agora a Gráfica expanSSiva é, em todos os aspectos, uma extensão da sua impressora doméstica.
Você nem precisa se preocupar em usar o telefone: basta enviar o arquivo pronto para impressão via PC, selecionar as melhores opções para o seu produto e aguardar o correio tocar a campainha. Sem perda de tempo, tudo rápido e fácil.
submitted by expanssiva to u/expanssiva [link] [comments]

Minha experiência como Designer Gráfico!

Minha experiência como Designer Gráfico!
Já faz um tempo em que tenho vontade de compartilhar minha experiência como acadêmico e profissional da área do Design Gráfico e acho que um bom lugar para dividir minhas dúvidas e curiosidades, vai ser por aqui. Atualmente, trabalho em um colorifício italiano com filial no Brasil, mais especificamente no sul do país, em Criciúma - SC.
Um colorifício é uma fábrica de corantes e matéria prima para a indústria cerâmica e eu atuo como designer de superfície, mas para entender um pouco das coisas que estarei compartilhando, talvez seja interessante compartilhar como decidi a carreira que ia seguir (na verdade ainda não escolhi, eu acho!)
Meu primeiro contato com Design na verdade foi com uma ferramenta bem conhecido dos profissionais, amada por uns, odiada por outros... o incrível Corel Draw! Estava no 9º ano do ensino médio quando fiz um curso de informática avançada que contava com um módulo de software gráfico. Na época nem se falava em Design Gráfico, principalmente na minha cidade (Correia Pinto - SC) e também não havia uma abordagem sobre Design no curso, era literalmente aprender a usar o Corel Draw e o Corel Photo Paint.
Em paralelo ao curso de informática básica fiz um curso de manutenção e montagem de computadores que 3 anos depois me levou a uma vaga de aprendiz em uma fábrica de papel e celulose, no setor de TI. Durante esta experiência a minha vontade era de cursar Ciência da Computação ou qualquer coisa da área, adorava o trabalho e sempre tive facilidade com tecnologias. Em um dos multirões que fazíamos no setor, limpando mesas e armários, um colega encontrou um CD que me entregou e falou para aprender a desenhar naquilo, dizendo ainda que era onde eu teria um futuro promissor. Era um CD com o Corel, que infelizmente estava danificado e nunca pude usar.

https://i.redd.it/ihlxea0aqs741.gif

Depois de um tempo como aprendiz, eu precisava de um salário melhor, pois já estava morando sozinho e as contas estavam chegando. Foi onde apliquei para uma vaga na linha de produção da máquina de papel, na mesma empresa. Contratado, trabalhei lá por pouco mais de um ano, mas esgotado da rotina que o trabalho em turnos fornecia, queria uma mudança, queria voltar a estudar, pois havia trancado um curso técnico em eletrotécnica, que aprendi coisa legais como usar o AutoCAD e a fazer planta baixa com esquema elétrico, tanto em software como na prancheta.
Ao consultar um amigo, fui aconselhado a cursar Design Gráfico, pois é onde ele me via prosperar.
Mas o que é Design Gráfico? não faço idéia, isso existe?
Então fui pesquisar por blogs, acompanhar canais de youtube (Amarelo Criativo <3) e tentar entender o que era o tal do Desain.
Eu me apaixonei pela área e estava decidido a cursar uma faculdade da área, onde tem? a mais próxima de Correia Pinto em 2014 era em Criciúma, aproximadamente 300km de distância. Foi em janeiro de 2015 que coloquei o que eu tinha em uma caminhonete que já não tenho mais e vim para Criciúma decidido a fazer este curso que me deixava maravilhado.
A faculdade que ainda curso divide os módulos por grandes áreas do Design, explorando Design Gráfico, Design de Produto e Design de Moda. Durante a graduação, tive várias dúvidas sobre qual ramo ia seguir e tive o momento onde quis ser tipógrafo, ilustrador, cartunista e designer de editorial, mas queria ficar longe de Design de Superfície ou da indústria cerâmica em sí.Minha primeira experiência profissional na área foi um trabalho de meio período em uma clicheria. Os clichés são como carimbos, que realizam a impressão em caixas de papelão, plásticos e outras superfícies. Na clicheria em questão o processo era manual e lá aprendi a montar layouts para caixas de papelão e sacos de rafia, além de "processar o cliché" manualmente, que se resume em imprimir o desenho em uma Deskjet, transferir a impressão para a borracha de cliché usando solvente e por fim, usar um estilete tipo bisturi para cortar os contornos da impressão, fazendo assim o carimbo em sí.
Posteriormente, tive uma bolsa de pesquisa no Laboratório de Orientação em Design (LOD) da faculdade. Pesquisei sobre a relação do Design Gráfico e a indústria carbonífera catarinense, tema sugerido pelo meu queridíssimo professor e orientador Jan <3. Para a pesquisa, desenvolvemos um artigo sobre como as carboníferas poderiam utilizar do Design gráfico como forma de divulgar suas ações socioambientais. Foi um ano de pesquisa que aprendi muito e me despertou a vontade de sempre pesquisar para a academia, o desejo de futuramente cursar um mestrado e posteriormente um doutorado. O artigo resultante da pesquisa foi publicado no Encontro de Sustentabilidade em Projeto 2017 (ENSUS).

https://i.redd.it/2xseyhi8ps741.gif

Continuando, no fim de 2017 passei a trabalhar em uma fábrica de esquadrias de alumínio e plástico, onde atuei em Design Editorial, na produção de catálogos técnicos e manuais de montagem e instalação, além de auxiliar no desenvolvimento de produtos com modelagem e prototipagem em 3D.
Entre o fim da bolsa de estudos e o emprego na fábrica de esquadrias, fiquei um bom tempo desempregado e fiz entrevistas para agências de publicidade, onde não tinha real interesse em trabalhar, mas precisava muito de algo e fiz entrevista na empresa que trabalho hoje. Ainda não tinha interessa na área, mas outra vez precisava encontrar algo ou teria de trancar a faculdade. Nesta primeira entrevista não fui chamado, mas no fim de 2018 queria sair da fábrica de esquadrias e tentei mais uma vez a vaga para o colorifício, desta vez sendo contratado com sucesso.
Hoje faz pouco mais de 1 ano que fui aprovado na vaga (em 23 de dezembro especificamente) e aprendi muita coisa, uma delas foi aprender a gostar da área e entender suas possibilidades. Completando um ano em uma nova área, achei interessante compartilhar tudo o que aprendi e o que ainda não aprendi, pois são muitas dúvidas e curiosidades. Estarei então em outros textos, falando sobre tudo o que pude aprender até aqui, seja para ajudar alguém que está chegando agora na área ou para trocar experiências.

https://i.redd.it/qmsid54trs741.gif

Por hoje é isso, em breve trarei conteúdos de fato sobre as áreas, este texto é apenas para me apresentar :)
submitted by Kevinn_o to u/Kevinn_o [link] [comments]

O que é Conceito Criativo no marketing digital

O Conceito Criativo é um conjunto de diretrizes de design e mensagem, para guiar a criação de publicações. É uma extensão da identidade visual marca.
Este conceito padroniza as campanhas por tema. Flexibiliza a criação e ao mesmo tempo impõe limites pré-definidos. Quando não é estipulado um conceito criativo para uma campanha, deve-se seguir apenas o manual da marca, o que restringe as variações.
Um exemplo seria um Conceito Criativo para Black Friday ou Natal, onde elementos gráficos e slogans diferentes do padrão da marca podem ser utilizados. Definir esta abertura ajuda a produção (redatores e designer, por exemplo) a entender os limites, evitando retrabalhos.
Entre as diretrizes do Conceito Criativo estão:
À medida que se cria a cultura de acessar a biblioteca de Conceitos Criativos, fica mais fácil aprender as variações que funcionaram e repeti-las quando necessário.

Benefícios do Conceito Criativo

Exemplos de Conceitos Criativos

Black Friday: utilizar a fonte da marca com letra dourada, fundo preto, animação de fogos de artifício. Mensagem de alerta e oportunidade em um tom mais agressivo.
Frete grátis: utilizar a fonte da marca em caixa alta na cor preta e sombreamento laranja. Ícone de caminhão e imagem de fundo com textura quadriculada.

Como utilizar o Conceito Criativo

Quanto mais estruturado for o Conceito Criativo, mais fácil é para aplicá-lo. Por isso é importante criar uma lista com as informações que a criação necessita para criar e manter um padrão pré-estabelecido. Caso não seja definido, basta utilizar o conceito padrão da marca.

Conclusão

O Conceito Criativo estabelece os padrões de design e mensagem para a produção de publicações. É uma forma de flexibilizar o padrão da marca, porém respeitando limites pré-estabelecidos. Além de aumentar o potencial de criatividade, reduz os custos de retrabalhos no processo de aprovação.
Quer saber como colocar em prática a Gestão do Marketing Digital? Então leia outros conteúdos do Guia e conheça o eKyte.
Veja também:
submitted by Brunoekyte to MarketingDigitalBR [link] [comments]

Oito Dicas Para Melhorar A Sua Logística | ABN Paletes

Se sua dificuldade está sendo organizar e melhor planejar suas entregas de produtos e serviços, se liga nessas dicas para melhorar e otimizar a logística do seu negócio.
Para ter uma garantia na gestão de logística de sua empresa, é necessário organização, empenho, planejamento, análise e vigilância.
Reduzir custos e promover um atendimento eficiente, está nos planos de melhorar o sistema de logística do seu negócio.

Confira as dicas abaixo:

Isso acelera o processo de produção e melhora os mecanismos da empresa trazendo rendimento em menor tempo.
Para isso, ter processos mapeados podem ser uma boa iniciativa. Uma vez que a coleta de mais números e informações necessárias ajudam a identificar as falhas de processos que demandam tempo.
Divulgue e informe, da melhor maneira possível, seus fornecedores em tempo real de como funciona a atual cadeia de processos e tarefas de sua empresa.
A falta de estoque pode acabar e, muitas vezes prejudicar e muito todo um sistema de logística eficiente, uma vez que o transporte só existe se tem uma quantidade satisfatória de produtos para transportar.
Ninguém quer perder dinheiro e tempo em processos que apresentam falhas no final da produção, então planejar é a melhor maneira.
Montar planilhas e gráficos que representem uma simulação de previsões pode ser uma ótima iniciativa, sendo que mapear todo o processo e entender como funciona sua empresa, agrega no conhecimento para que as próximas demandas sejam de melhor execução.
Essa técnica é a melhor e a mais importante das relações para o funcionamento de qualquer negócio. E, entender que ninguém faz sucesso sozinho é a chave para consolidar no mercado e estabelecer uma série de possibilidades e novas oportunidades no ramo em que atua.
Outro fator que deve ser levado em consideração é, entender que a fama não gera lucro nem paga contas, uma vez que todos os processos gerenciais de qualquer empresa, precise de vários comandos fundamentais para excelência e promoção de bons resultados.
Boas parcerias podem ser sinônimo de sucesso e futuras demandas produtivas. Repense!
O trabalho em grupo é fundamental em qualquer setor e, para que ele funcione da melhor maneira, promover o bom relacionamento e o conhecimento de seus funcionários, pode ser uma boa ação.
Como já citado no tópico 2, conhecer seu fornecedor também é fundamental, uma vez que esse processo está diretamente relacionado ao fluxo de suprimentos da cadeia de produção.
Com esta iniciativa, o fornecedor passa a acompanhar os objetivos de seus clientes e oferece a você um feedback positivo.
Essa é a forma mais fiel de entender como o processo funciona na sua cadeia de produção e, de maneira direta e clara, saber que riscos e falhas podem acontecer, oferece a você um melhor preparo para lidar com os sistemas de gerenciamento de sua mercadoria.
Mantenha sempre o controle e tenha também planos e ações a serem executadas caso algo saia do controle ou não saia como esperado.
Saiba que, com o avanço do tempo e das descobertas, os anseios do homem por maquinas que otimizem os resultados e o tempo de produção de seus produtos e mercadorias, tem sido motivo de grandes investimentos no setor tecnológico.
Que tal ter o controle em tempo real do trafego de suas mercadorias no cenário de distribuição? Isso já é uma realidade!
Investir em programas e softwares adequados para a execução de tarefas que necessitem de cálculos e matemática exata, podem ajudar.
Saiba que o mundo está ao seu alcance, caro gestor, e seguindo essas dicas práticas e rápidas, o seu sucesso irá decolar no menor tempo possível.

Conheça a ABN Paletes: https://www.abnpaletes.com.b
submitted by Amanda3exceler to u/Amanda3exceler [link] [comments]

Introdução ao R: (1) O que é, instalação, breve introdução.

Saudações! Aqui, farei uma série de postagens sobre linguagem R. Por que?
1.Curso Probabilidade e Estatística esse semestre e preciso aprender essa porra
  1. Tem uma flair pra isso no nosso Reddit, que eu mesmo criei
3.Puta que pariu essa linguagem (ou melhor, ferramenta) é a mais caralhuda pra análise de dados que já vi

Primeiro, o que é R?

R é um ambiente de software livre para computação estatística e plotagem de gráficos. Tá, mas e daí? Basicamente, a ideia é utilizar a linguagem R para realização de cálculos estatísticos (sim, ele permite calcular média, mediana e coisas do tipo, mas vai muito além) que não seriam tão simples de serem realizados com outras ferramentas, tais como o Excel.
Além disso, a plotagem de gráficos é sensacional. Se você já tentou fazer um gráfico no Excel, já deve ter visto que é literalmente um inferno. Já com R, basta ter um bom entendimento do que cada tipo de gráfico representa, quais dados utilizar e enviar alguns comandos para o terminal, resultando em um gráfico elegante, que transmite confiança e que não parece ter sido tirado de um manual dos anos 2000 sobre o Microsoft Office.

Como instalar o R?

Uma instalação usual no R no Windows envolveria dois passos: instalação da linguagem em si, e a instalação de um software que fornece uma interface mais amigável para o ambiente (normalmente, o R Studio). A instalação para ambos é bastante intuitiva.

Baixe os pacotes da linguagem em https://cran.r-project.org/bin/windows/base/ e o R Studio em https://www.rstudio.com. Ambos são gratuitos, mas o R Studio tem uma versão comercial que custa 995 dólares anuais e que, obviamente, não se destina ao seu tipo de uso (e de provavelmente quase ninguém que não tenha um grande projeto de análise de dados).

Um pouco sobre variáveis e bancos de dados.

Nesse trecho (assim como em todo o curso), apresentarei o tema dispensando formalismos vistos em aula. Optei por fazer isso por que vocês não precisam passar em Probabilidade e Estatística, e provavelmente sequer tem paciência para uma explicação excessivamente formal.
Basicamente, a estatística trabalha com dados e variáveis, as quais costumam fazer parte de um conjunto de observações. Mas vamos com calma.
Imagine, por exemplo, que um urologista deseje realizar uma medida do tamanho e peso da próstata, associada com a idade de seus pacientes.
Evidentemente, essa pesquisa envolveria diversas variáveis: profundidade, largura, comprimento, peso e idade. Além disso, cada paciente incluído na pesquisa corresponderia a uma observação. Por fim, todas essas informações fariam parte de um banco de dados, ou de um conjunto de observações.
Esses bancos de dados normalmente são organizados da seguinte forma: nomes das variáveis nas colunas, valores de cada observação nas linhas. Quando um banco de dados está assim, dizemos que ele está tidy, ou arrumado. Pode parecer absurdo, mas é incrível a quantidade de pessoas que, por morarem em uma caverna, apresentam informações de outras formas.
Por fim, podemos classificar variáveis em dois tipos, os quais tem duas divisões cada:

Qualitativas:
Quantitativas:
No próximo post...

No próximo post, aprenderemos como instalar algumas bibliotecas úteis em nosso ambiente, além de criar um banco de dados e importá-lo para o R.

submitted by NatanaelAntonioli to fabricadenoobs [link] [comments]

O QUE VOCÊ PRECISA PARA COMEÇAR A AUTOMATIZAR SUA LOJA

Surgiu o momento em que seu comércio necessita de uma automação, seja por horas perdidas organizando as informações financeiras, as gestões de rotina ou o tempo perdido nas filas do caixa. São inúmeras as situações, mas o importante é que você decidiu alavancar e modernizar seu estabelecimento! Para começar vamos mostrar tudo o que você precisa para automatizar com qualidade.
SOFTWARE DE AUTOMAÇÃO
Onde tudo começa para automatizar seu comércio é no software de automação comercial, é nele que você terá maior contato e para sua instalação é necessário ter uma infraestrutura e hardwares.
O software simplesmente é um facilitador de processos e gestão, tanto na parte interna quanto externa. Por exemplo, uma lanchonete vendeu um almoço, o software irá te auxiliar em:
  1. Informar a cozinha sobre o pedido realizado sem ir até lá;
  2. Descontar seu estoque a quantidade exata dos ingredientes que foram utilizados;
  3. Inserir a venda realizada no caixa;
  4. Cadastrar os dados do seu cliente;
  5. Receber as informações dos processos com gráficos e planilhas.
A automação realiza para você as tarefas demoradas e que precisam de maior atenção na análise, facilitando para controlar desde a entrada do seu produto ao pagamento, eliminando tempo para focar em estratégias para alavancar seu negócio com as informações certas fornecidas pelo sistema. Desde os custos fixos e variáveis até melhorar do fluxo de seu caixa. Ele traz clareza para identificar os processos e melhor sua gestão, para ser otimizado.
Porém para começar, é necessário definir o que você quer otimizar, separando sua operação em etapas. Por exemplo: você recebe mercadorias e necessita fazer a contagem do estoque? Sabe o histórico de compra dos seus clientes e seus dados para contato? Sabe quais produtos focar e quais te dão prejuízo? E promoções direcionadas para os mesmos?
São inúmeros processos que podemos listar, caso você se identifique com as perguntas acima, então provavelmente já passou por problemas que a automação comercial garante resolver.
Trabalha todo o relacionamento com o cliente e até a entrega de produtos / serviços diferenciados com a compreensão do consumo, facilmente acessada pelo software, permitindo visualizar a listagem de seus clientes, histórico de compras, tempo de permanência no local, dados demográficos ou seu estoque, suas vendas e diversas informações que o sistema integra.
Para realizar isto, é necessários computadores e equipamentos próprios para automação que serão integrados ao sistema para funcionarem em conjunto, podendo visualizar as informações até mesmo em seu celular.
A única função que o software não realiza é escolher como investir o dinheiro que surgirá a partir do momento que você iniciar a otimização de processos. De qualquer forma, a análise fica por conta dos responsáveis do planejamento, confiando em informações seguras armazenadas e geradas em seu sistema.
Em um geral, o software de automação comercial é essencial para comércios que necessitam de maior gestão e controle, alavancando suas vendas com a melhora do atendimento agilizado. Ainda com dúvidas ou apenas quer realizar uma cotação? Entre em contato conosco!
https://www.mundodaautomacao.com.b
submitted by mundodaautomacao to u/mundodaautomacao [link] [comments]

Bitcoin XT, Forks e tudo mais (parte 1)

Se você está querendo saber o que é Bitcoin, esse artigo não é pra você. Se procura um posicionamento politico, também veio ao lugar errado. Esse artigo é sobre como funciona o mecanismo de consenso, e a bifurcação (Fork) que ocorrerá em consequência da adoção do Bitcoin XT.

O mecanismo de consenso e os forks

O Bitcoin se propõe a resolver um problema clássico da computação, conhecido como “Problema dos generais bizantinos Iterado”1. Esse problema pode ser resumido como sendo “buscar o consenso através de mensagens transmitidas por um meio inseguro”. Não vou entrar em detalhes aqui sobre como o consenso é atingido ou buscado, pois sairia do escopo desse artigo, mas basta saber que o objetivo do bitcoin é conseguir o consenso entre os participantes da rede. Quando esse consenso não é atingido, acontece o que chamamos de “Fork“, ou bifurcação.
Nesse ponto quero deixar claro: um Fork na blockchain não tem nada a ver com um fork do código fonte. um Fork na blockchain pode acontecer sem haver fork no código fonte (e ja aconteceu algumas vezes antes por bugs no software do bitcoin core2 ). Forks no código fonte do bitcoin acontecem todo o tempo. São desenvolvedores criando novas criptomoedas concorrentes ou complementares ao bitcoin3. Note que esses forks sempre criam novas blockchains, começadas do zero. Ou seja, são forks do código fonte, mas não da blockchain.

Soft Fork

Voltando ao assunto. O consenso no contexto do bitcoin é definido pela blockchain. Ela nada mais é do que uma sequencia de blocos, estes compostos por transações, encadeados um ao outro através de assinaturas criptográficas4. Sempre que há uma divergencia entre mineradores, ou seja, quando conjuntos diferentes de transações são validados ao mesmo tempo formando blocos diferentes para a mesma posição da blockchain, acontece um fork. Esse tipo de fork é chamado de “soft fork“, e faz parte do mecanismo de obtenção de consenso.
Como a rede decide qual desses dois blocos vai ser mantido e qual será descartado? Simples. Quando o proximo bloco for minerado, apenas um dos dois terá sido “assinado” pelo minerador. Aquele que ficar de fora, se torna “órfão”. E se dois mineradores criarem dois novos blocos simultâneos, cada um assinando um dos antecessores concorrentes criados na rodada anterior? Apesar de pouco provável, será formado um fork de dois blocos, ou três, quatro, etc, blocos até o momento em que algum minerador conseguir minerar sozinho o próximo bloco, sem conflitos, e criar uma sequencia mais longa que a concorrente. Quando essa sequencia é criada, a rede atinge novamente o consenso, e essa nova blockchain, mais longa que a concorrente, é mantida e a sequencia concorrente de blocos é tornada órfã.
http://i2.wp.com/www.extremetech.com/wp-content/uploads/2014/06/bitcoin-blockchain.jpg (imagem: Soft Forks. Os blocos roxos se tornaram órfãos.)
O mecanismo de consenso então é sempre decidir pela sequencia mais longa de blocos. Soft forks são mecanismos temporários que permitem que duas versões concorrentes da blockchain disputem qual delas atingirá o consenso. Soft forks com mais de um bloco são raras, muito raras.
E órfãos são ruins! Ninguém gosta de órfãos5. Órfãos dão um prejuízo danado a quem os minera, pois gasta poder de processamento para encontrar um bloco que vai ser descartado pela rede e não vai gerar dividendos. A menos que se esteja tentando um ataque à rede, ninguém vai querer forçar a criação de soft forks na rede, pois o risco de tomar prejuízo é grande.

Hard Forks

Então chegamos no grande vilão do consenso: Os hard forks. Hard forks são quando alguma coisa impede que um consenso seja atingido. Pode ser um bug no sistema, que cria blocos reconhecidos por algumas versões da carteira, mas não por outras. Esse tipo de bug já aconteceu mais de uma vez2. Pode também ser decisão do time de desenvolvedores, para acrescentar funcionalidades à moeda. Para evitar que um hard fork proposital tenha impacto na moeda, um consenso prévio entre desenvolvedores e usuários costuma ser buscado, e quando o hard fork acontece, estão todos (ou quase todos) com a versão correta da carteira e a cadeia “errada” é rapidamente descartada ou ignorada.
https://bitcoin.org/img/dev/en-hard-fork.svg (imagem: Exemplo de Hard Fork. A cadeia superior usa a versão antiga da carteira enquanto a cadeia inferior usa a versão nova. Como não houve consenso, duas cadeias paralelas se formam a partir do terceiro bloco.)
Se órfãos já eram ruins, imagina um hard fork? é todo um ramo da blockchain que nunca vai virar o consenso. É a pior coisa que pode acontecer, e é motivo de morte para várias altcoins6.

A rede e a propagação das transações

Além da blockchain, outro componente primordial do bitcoin é a rede. O bitcoin forma uma rede P2P conectando cada carteira com uma quantidade razoável de outras carteiras, de forma que as mensagens entre uma e outra consigam percorrer toda a rede. De uma forma simplificada, as transações criadas por uma carteira são enviadas a todas as outras conectadas a ela. Cada uma dessas carteiras, por sua vez, retransmite as transações recebidas de uma carteira conectada para todas as outras, e assim sucessivamente, até que toda a rede tenha recebido uma copia daquela transação. OS blocos minerados passam pelo mesmo processo. A diferença é que as transações ficam armazenadas em uma memória temporária, e os blocos são armazenados na blockchain, de forma permanente.
http://i2.wp.com/blog.girino.org/wp-content/uploads/2015/08/split_nets.png (Imagem: Exemplo de redes com clientes de versões diferentes. Na primeira uma rede totalmente conectada. Na segunda, as linhas vermelhas indicam os pontos onde clientes de versões diferentes irão se desconectar. Na terceira e quarta vemos as redes isoladamente.)
Quando acontece um fork, seja ele soft ou hard, a transmissão das transações e blocos continua ocorrendo normalmente. Ou seja, forks não afetam a propagação de transações pela rede. No caso de um hard fork, entretanto, alguns blocos gerados por carteiras de versão diferente ou com bug vão ser descartados como inválidos, e não serão gravados. Em casos graves, as carteiras que insistirem em enviar blocos “inválidos” podem ser desconectadas. Em alguns casos, essa desconexão pode separar a rede em duas redes que não se comunicam. Chamamos isso de split. Mas na maioria dos casos, as redes continuam se comunicando, mas ignorando os blocos gerados pela outra rede. Quando há um split, criam-se efetivamente duas redes separadas, com duas blockchains separadas, praticamente como se existissem duas moedas separadas.

O bitcoin XT

Também não vou entrar em detalhes sobre quais são as melhorias propostas pelo Bitcoin XT ou se elas são boas ou ruins. Apenas pretendo descrever o que deve acontecer com a blockchain e com a rede bitcoin devido a sua introdução.
O bitcoin XT é um fork do código do bitcoin que pretende gerar um hard fork da blockchain do bitcoin caso sua aceitação passe do limite de 75%7. Após atingido esse limite ele emitirá uma mensagem para todos os clientes da rede informando que haverá um hard fork e dando o prazo de duas semanas para que quem quiser possa adequar seus sistemas. Passadas duas semanas, o XT começará a minerar blocos seguindo as novas regras, gerando assim um hard fork.
Isso não seria um problema normalmente, já que o processo de consenso seria conduzido fora da rede e quando fosse finalmente colocado em prática o fork, todos os usuários já estariam com seus sistemas e carteiras atualizados. Só que isso não aconteceu. O XT optou por não passar pelo processo de obtenção de consenso fora da rede e usou esse novo processo para decidir sobre a criação ou não do hard fork. Em termos práticos, o processo deixou de ser uma tentativa de consenso e passou a ser uma votação por maioria de 3/4 dos mineradores8.
A intenção dos criadores do XT é que, caso eles atinjam os 75%, todo mundo migre para o XT e o consenso seja atingido sem hard fork. Mas isso não necessariamente é verdade. Vou tentar descrever abaixo alguns dos cenários que podem acontecer.

1) CAMINHO FELIZ SEM XT

Esse é o cenário mais fácil de prever. O XT não obtém 75% dos mineradores, e tudo continua como está.

2) CAMINHO FELIZ COM XT

Esse cenário se dá com um consenso sendo atingido antes do término das duas semanas de adaptação. Nesse caso, todos migram par ao XT e quando o hard fork ocorrer, não haverá ninguém no lado “antigo” do fork, que morrerá rapidamente. O XT substitui o bitcoin totalmente. Esse cenário parece improvável dada a quantidade de pessoas defendendo o XT.

3) HARD FORK, MAS O BITCOIN “ANTIGO” CONTINUA EXISTINDO.

Suponhamos que 20% dos mineradores optem por não migrar par ao XT. No momento do hard fork teremos a criação de duas moedas com um passado comum. Uma que chamarei de “core” e é minerada pelos que não migraram para o XT e outra que chamarei “XT”, minerada por quem optou pela mudança. Nesse cenário, existem diversas situações de risco e que podem causar problemas tanto para a rede como para os usuários.
Na próxima parte desse artigo eu vou tratar em mais detalhes desse cenário, que é o mais interessante tecnicamente.

Referencias

  1. ↑ ver Byzantine Generals
  2. ↑ ver os seguintes artigos: 1, 2 e 3
  3. ↑ Atualmente são tantos que a ferramenta de visualização do github nem permite ver o gráfico
  4. ↑ Pra quem quer saber em melhores detalhes, um bloco precisa conter o hash do bloco anterior e ser validado por um processo conhecido como mineração, veja esse artigo (não técnico) ou esse (mais técnico)
  5. ↑ No contexto de bitcoins, não tenho nada contra crianças que precisam de adoção
  6. ↑ veja nessa lista de altcoins mortas quantas morreram por hard forks
  7. ↑ O valor exato é de 750 blocos minerados pelo XT entre os últimos 1000 blocos minerados, ver BIP-0101
  8. ↑ na verdade 3/4 do poder de processamento, já que mineradores mais “poderosos” terão mais influencia no voto
submitted by girino to BrasilBitcoin [link] [comments]

Equívocos comuns sobre o bitcoin - Guia para jornalistas:

quívocos comuns sobre Bitcoin - Um Guia para Jornalistas [tradução]
Embora o problema agora seja consideravelmente menor do que foi a um ano atrás, uma quantidade significante de desinformados sobre o Bitcoin continuam a aparecer ao redor da internet. Parte do problema é o conceito de que o Bitcoin não é nada parecido com qualquer coisa vista antes; moedas decentralizadas que não tem presença offline não eram exatamente algo do senso comum antes do Bitcoin aparecer. Bitcoin é tambem incomum pois é um assunto meio high-tech mas com consequências fora do mundo da tecnologia, levando jornalistas sem preparo a falar coisas absurdas como associar o Bitcoin a universidade de tecnologia MIT nos EUA só por causa da licença de uso. Na verdade a "MIT license" usada pelo bitcoin não fala nada mais do que, qualquer pessoa tem o direito de usar livremente, modificar e distribuir o software e isso tem tanto a ver com o MIT quanto os "Algorismos indo-arábicos" tem a ver com a Al Qaeda, os governos da Siria e o Iran.
Outra questão é que é desejável escrever uma história interessante; uma história sobre um empresário de terno e gravata usando Bitcoin de forma rápida e barata para movimentar dinheiro através de fronteiras internacionais é muito menos provável para gerar visitas ao seu site do que um "site subterrâneo onde você pode comprar qualquer droga e arma imaginável". Assim, a tendência natural existe em favor desta última sobre a primeira.
Grandes players da midia falam que os Bitcoins se espalharam como memes e isso só serve pra agravar o problema. Por exemplo, depois que o Financial Post alegou em 8 de junho que "Europeus estão movendo seu dinheiro para fora dos bancos e comprando tudo em Bitcoins", com uma onda de artigos seguintes sobre o mesmo assunto. Em junho de 2011, a Business Insider, postou um artigo baseado no artigo do Financial Post alegando que a mesma coisa e a Betabeat e varios outros sites seguiram sua opinião. Um desses sites por sua vez catapultou a história para o Slashdot e a ZDNet e a Daily Finance fizeram seus artigos em seguida. Na verdade, entretanto, a história de investidores indo de Euro pra Bitcoins em massa foi groceiramente exagerada - Amir Taaki reportou que "a única coisa que aconteceu é que euro cresceu no preço em relação ao dolar, ligeiramente"
Mesmo em caso de histórias que são essencialmente verdadeiras, o efeito de distorção ainda pode se manifestar; quando o Bitcoin Central anunciou que firmou parceria com uma instituição financeira na frança, a afirmação errônea foi que o Bitcoin Central tinha sido licenciado como um provedor de serviços de pagamento ao invés de simplesmente firmar parceria com uma instituição existente foi tão rapidamente copiada na internet que o Bitcoin Central teve que soltar uma nota esclarecendo os fatos.
Os topicos seguintes são esclarecimentos sobre os maiores erros que foram noticiados dentro de um ano e meio:
  1. Bitcoin não tem uma central ou uma organização ou uma autoridade por trás; Esse recurso do Bitcoin é o menos entendido pelas pessoas que são novas para a moeda, e talvez a mais difícil de entrar na cabeça das pessoas. Um recente artigo da Occupy Corporatism tropeçou nesse erro consideravelmente, fazendo afirmações como "Bitcoin ganhou o status de um prestador de serviços de pagamento e agora o Bitcoin tem um número de identificação bancária internacional". Embora a comunidade Bitcoin inclua organizações como Bitcoin Foundation e Bitcoin Central, nenhum destes são autoridades centrais com poder sobre o Bitcoin como um todo. Bitcoin Central é apenas um mercado de bitcoin dentre centenas de outros e nem é o maior deles.A Fundação Bitcoin é simplesmente uma organização composta de membros altamente respeitados na comunidade Bitcoin e desenvolvedores de partes importantes do software cliente do Bitcoin. Qualquer um poderia criar sua própria exchange e sua própria fundação e tomar esses títulos. Em vez de pensar Bitcoin como um produto lançado por uma empresa tradicional, é mais apropriado pensar nisso como uma mercadoria auto-sustentável digital, semelhante ao ouro. Tem uma indústria extensa e saudável que fornece produtos e serviços baseados em torno dele, e ele tem o seu próprio negócio e organizações que o defendem, mas não há uma "Gold Corporation Central". As bases de dados que mostram endereços Bitcoin com um saldo de bitcoins são todos coletivamente geridos pela rede, usando uma rede peer-to-peer, de forma semelhante às redes usadas por serviços de compartilhamento de arquivos.
  2. O preço do Bitcoin NÃO, repito, NÃO caiu para US$0,01 em junho de 2011. A história por trás desse mito é um evento em junho de 2011 quando um administrador de contas do MtGox, um dos mercados de compra e venda de bitcoin, que tem quase 80% do market share [volume de compras e vendas da rede], foi hackeado, e o atacante manipulou o banco de dados do MtGox criando um balanço de 20 milhões de bitcoins na sua conta e imediatamente vendeu tudo 'à preço de mercado' e consumiu todas as ordens de venda do MtGox dos meses anteriores, indo de 17,50 a $0,01. Entretando, o que aconteceu foi que o preço de $0,01 não era o preço do Bitcoin mas sim o preço representado no MtGox. Um preço é, por definição, um valor em um mercado para algo que está sendo comprado e vendido em um determinado momento. Neste caso, entretanto, MtGox "voltou" (fez um 'rollback' ) em todas as transações que foram executadas durante esse evento, então nenhuma compra ou venda foi feita a menos que $10. Os gráficos de preço do MtGox não mostram essas transações falsas (que foram estornadas) ocorridas neste dia. Além do atacante, nenhum ser humano esteve, em nenhum momento, disposto a vender bitcoins em algo próximo a US$ 0,01 - os pedidos que foram processados ​​foram todos feitos semanas e meses antes do evento e em todas as outras bolsas, exceto a MtGox, o preço permaneceu estável entre $13 e $18. E, mais importante de tudo, os 2 milhões que foram vendidos não eram mesmo bitcoins 'reais' - eram simplesmente entradas fraudulentas no banco de dados do MtGox. Embora seja compreensível que alguns podem interpretar o evento como o preço caindo para $0,01, apontar para este incidente como um sinal de instabilidade no preço do Bitcoin é hipocrisia - a causa foi um acidente de segurança de um serviço de terceiros, e não uma perda repentina da confiança na moeda. Aliás, se o hack do MtGox conta como o preço Bitcoin caindo para $0,01 centavos, devemos contar a história menos conhecida com o preço do Bitcoin chegando a US$ 1 bilhão.
  3. Bitcoin em si nunca foi falsificado ou hackeado. Uma série de artigos nesse último um ano e meio saíram com alegações triunfantes proclamando "Bitcoin hackeado", ou algo similar, na manchete, e recentemente um artigo do Washington Post afirmou que, no futuro, haveria contrabando de "falsas moedas digitais". Infelizmente, a reputação da segurança do Bitcoin foi afetada negativamente como resultado. Na realidade, porém, histórias sobre Bitcoin ser hackeado são simplesmente instâncias do equívoco de se achar que existe uma autoridade central manifestando-se mais uma vez. O protocolo Bitcoin em si e os vários serviços que foram acumulados pela economia Bitcoin são duas coisas completamente diferentes; dizer que o bitcoin foi hackeado quando a vítima real foi um dos serviços é como dizer que o dólar dos EUA foi hackeado quando os criminosos conseguiram roubar $ 10 milhões por estourar caixas eletrônicos. Aliás, o dólar dos EUA em si foi "hackeado", uma grande parte da receita da Coréia do Norte provêm de notas de 100 falsificadas, o protocolo Bitcoin, por outro lado, não teve quaisquer falhas de segurança significativas. Houve alguns incidentes menores envolvendo métodos de se trabalhar com Bitcoin que são conhecidamente inseguros, mas o alcance destes ataques são muito limitados, e os usuários e as empresas não estão e nem estiveram vulneráveis. Por causa do algoritmo do Bitcoin permitir somente 21 milhões de 'moedas' na economia, 'falsificar' novos Bitcoins é impossível. As bases criptográficas e as algoritmos por trás do Bitcoin provaram ser sólidos como uma rocha e o fato de ninguém ter conseguido quebrar o protocolo e ganhar a 'recompensa' de um economia de $140 milhões de dólares atesta claramente isso. Para o usuário final as unicas duas formas de perder seus bitcoins é por meio de atividade maliciosa: confiando seus bitcoins para pessoas ou serviços de terceiros inseguros ou fraudulentos, ou ter seu computador hackeado por um vírus de computador - ambos os problemas existem no sistema financeiro atual custando para a economia americana 50 bilhões de dólares por ano.
  4. Bitcoin (ainda) NÃO teve um aumento de uso massivo para fugir das sanções no Irã. Da mesma forma que a história do euro acima, este é outro meme que se espalhou pela internet toda muito rápido. Depois que a Business Week escreveu um artigo em novembro(29), Reason, Infowars, vários blogs de economia e por final a CNN deram força a história, simplesmente uma copiando parágrafos da outra sem fazer uma pesquisa ou certificar a veracidade da informação. Na realidade, a história do Irã tem sim um pingo de verdade, como existem sinais de aumento de atividade no Irã nos meses anteriores, mas em grande escala o Bitcoin está longe de causar algum impacto – no Google Trends, Bitcoin nem aparece nos gráficos do Iran. O que aconteceu aqui foi uma grande falácia jornalistica: a midia pegou uma história de um iraniano vendendo músicas por Bitcoins no CoinDL e erradamente extrapolou a história sobre iranianos trocando Bitcoin em massa. Não existe nada de errado em falar dos potenciais usos do bitcoin para evitar sanções em larga escala, mas é preciso ser cuidadoso para averiguar se é o que está realmente acontecendo.
  5. Bitcoin ESTÁ sendo usado para vender drogas em sites como Silk Road. Entretanto, bens e serviços ilegais, incluindo assassinos, pedofilia ou mesmo armas NÃO estão ganhando força significativa. O site de mercado negro Silk Road foi manchete a alguns meses atrás quando um artigo de Nicolas Cristin foi publicado, alegando que o site teve um volume mensal acima de $2 milhões. Focar no aspecto 'mercado negro' do Bitcoin é um hábito popular entre jornalistas, como mostra o senador americano Charles Schumer em junho de 2011 quando ele acusou o bitcoin de 'um esquema online de lavagem de dinheiro usado para ocultar a origem do dinheiro' na compra e venda de drogas. Mesmo hoje em dia artigos usam as palavras de Schumer como parte da introdução aos seus artigos sobre Bitcoin. Outros artigos, entretando, vão ainda mais longe; Um blog afirmou que "o fato de voce poder comprar drogas, armas e contratar assassinos com Bitcoin é incontestável" e outro vídeo mostra o Bitcoin como moeda para contratar prostitutas, armas, obras de arte roubadas e mais. Essas alegações são exageradas. O vídeo aifrma que "por um ponto Silk Road facilitou(?) o caminho para venda de produtos nocivos para os outros como armas, números de cartão de crédito roubados e coisa piores" - de fato, com o passar do tempo, as coisas mudaram para melhor. Números de cartão de crédito, pornografia infantil e assassinatos nunca foram permitidos no Silk Road e até mesmo no mais liberal dos mercados Black Market Reloaded começou a lentamento e reprimir atividades imorais - assassinos, pornografia infantil não podem ser mais achadas no site. Após polêmica crescente entre os usuários do site, o idealizador do Silk Road Dread Pirate Roberts, baniu armas no Silk Road no começo de 2012, movendo armas e afins para sites dedicados a isso. Entretanto, o site perdeu força e Roberts fechou a divisão de armas seis meses depois devido a inatividade. Armas não foram mais aceitas no Silk Road. A ameaça de assassinos é igualmente exagerada. Se você for a rede Tor procurar assassinatos, realmente existem alguns vendendo seus serviços por 5 a 20 mil dólares, normalmente pedindo Bitcoin como pagamento. No entanto, olhando mais a fundo ,essas contas de supostos assassinos não tem reputação nenhuma nos sites ou comentários e recomendações e eles nunca aceitam usar um serviço de custódia. Isso só pode apontar para uma conclusão: todos eles são scams/falsos. Não custa nada colocar um anúncio nesses sites e scammers podem simplesmente esperar até um cliente contata-los, e depois extrair o pagamento adiantado, tanto quanto puderem. Alguns desses golpes pode até ser vigilantes e policiais, deliberadamente minar qualquer confiança nos mercados negros para esses serviços em uma tentativa de proteger as vítimas potenciais.
É fácil entender por que tantos escritores têm cometido esse tipo de erros. É fácil cair na tentação de uma história interessante que vai gerar pageviews/acessos, especialmente quando muitas vezes há tão pouco incentivo para vasculhar uma verdade mais desinteressante. Para combater esses mitos, portanto, todos nós devemos ser vigilantes. Se uma determinada história é injustamente tendenciosa contra o Bitcoin, ou mesmo tendenciosa injustamente em seu favor, é importante trabalhar juntos para ter certeza de que a verdade sempre prevaleça - no primeiro caso, para não assustar desnecessariamente adeptos potenciais do Bitcoin, e em segundo caso, não decepcionar. Esperemos que, como a compreensão do público sobre o que é Bitcoin continua a aumentar, nós estaremos vendo muito menos alegações falsas, em 2013, e, com sorte, o Bitcoin estará livre para subir ou cair - espero que suba - pelos seus próprios méritos.
Fonte: http://bitcoinmagazine.com/common-misconceptions-about-bitcoin-a-guide-for-journalists/
Tradução DanielBTC - 25/01/13 - 02:33 PM Gostou? Faça uma doaçãozinha para: 1LmQ48jScXPpA2oQiW1eCrLqpMKgJwxPGh
submitted by allex2501 to BrasilBitcoin [link] [comments]

Qual o melhor programa de desenho para SERRALHEIRO- AULA 2 ... MELHORES TEMPOS GRÁFICOS PARA DAY TRADE - YouTube Software para gestionar Artes Gráficas e Imprentas MELHORES GRÁFICOS PARA DAY TRADE (RENKO - TICKS ... MELHOR MOD GRÁFICO PARA FIVEM  2020 - YouTube

Confira as melhores opções para montar gráficos e infográficos online! #1 – Visme. O Visme é ideal para quem ainda não domina a construção de gráficos, pois conta com modelos prontos para uso, só é necessário inserir os dados nos gráficos disponibilizados. Além disso, também apresenta grande variedade de fontes e layouts, permitindo personalização completa do trabalho para ... O Editor de imagens online mais simples ᐉ Crello Crie designs Post Capa Gráfico-Texto Design póster Vídeos HD Animações ☝Melhor software design online Fácil e grátis! Quer criar belas barras, torta, linha, gráficos de rosca? O VP Online é o melhor software gráfico on-line, com cerca de 20 tipos de gráficos, editor de dados de planilhas e funções fáceis de edição. Experimente GRÁTIS hoje! Nenhum download é necessário. Hoje veremos qual é o melhor software para quem trabalha com design gráfico. Com o avanço da tecnologia, muitas empresas desenvolveram softwares para o desenvolvimento de design gráfico. Alguns deles reinaram no começo dos anos 2.000, mas já morreram há muito tempo, como é o caso do Adobe Pagemaker, que foi substituído pelo Adobe InDesign. A melhor opção para o seu setor. Evidentemente nem todos os projetos são criados da mesma maneira. E é verdade que alguns criadores de site são mais adaptados para fotógrafos do que blogueiros. Por isso, vou mencionar aqui os nossos preferidos para cada tipo de caso: O melhor criador de site para pequenas empresas

[index] [5158] [1130] [2241] [4106] [2388] [3100] [2796] [401] [5977] [6082]

Qual o melhor programa de desenho para SERRALHEIRO- AULA 2 ...

Eu tenho feito muita live no meu Instagram, para assistir, me segue lá @portstrader https://www.instagram.com/portstrader/ Seja bem vindo ao maior canal de D... Descubra qual é o melhor programa para capturar tela no Windows 10, além de leve e cheio de recursos, ele é gratuito e certamente é uma ótima alternativa par... 7 LIVROS DE DESIGN GRÁFICO QUE VOCÊ DEVE LER - Duration: 7:01. Mariane Mendes 2,624 views. ... Qual o melhor NOTEBOOK para LIGHTROOM e PHOTOSHOP? - Duration: 18:53. Heitor Pergher Fotografia ... Parceiros: 🔎 𝘽𝙤𝙭𝙚𝙧 𝙎𝙤𝙡𝙙𝙖𝙨 SITE.....https://hotm.art/boxersoldas INVERSORAS.....https://hotm.art/inversor... ABRE E GANHE UM PIRULITO!!!! ( ._.) GOSTO DO VÍDEO DEIXA O LIKE ! BORA BATER 30 LIKES ?!? HeHe! • CANAL DE VLOG : https://www.youtube.com/sreuri...

http://forex-portugal.xn----dtbhuqceblmfmo8j.xn--p1ai